22.6.07

Janus



Apresenta-me as faces
o deus que inspira janeiro.
Em pé, sob o umbral de meu tempo
convida-me a entrar.


Seu rosto leste em êxtase.
Prenúncio do incerto.
O outro, com grande esmero,
tira o pó dos castiçais.


Ajudo a polir a prataria?
Não.
Pílulas de adrenalina
e a água da boca
pesam-me até embaixo.


O que me move
é essa efervescência nos pés.
texto e imagem: roberta silva

Um comentário:

Rodrigo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.