25.6.07

sem título



Leva-me a maré
que se encheu
quando eu era minguante.


Queima-me o sol
que ardeu
quando eu era nublado.


Cresce-me a flor
que brotou
quando eu era podado.


Grita-me a história
que se fez
quando eu era censura.


Mata-me a saudade
do que não fui
quando eu era temor.
texto e imagem: roberta silva

Nenhum comentário: