20.7.10

pecado

nem pai, mãe,
filhos, homem,
mulher, marido,
amigo...
ninguém foi capaz
de me dobrar.
só tu, palavra,
por ti morro,
me esfolo e me estrepo
como maria-sem-vergonha,
sem vergonha.


pode parecer que apanho.
mas se me rege,
sou eu quem compõe.

podia até pedir perdão.
para que?
amanhã vou pecar de novo

3 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
RAGI MOANA

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DEL FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...

Mulher na Polícia disse...

"...mas se me rege, sou eu quem compõe".

Cheque mate!

Beijos, Ro.

Anuska Anuska disse...

eu morro pelos teus poemas.
tuas poesias me encharcam de amor e muito mais.
por isso estarei sempre por aqui.

grace.