19.6.07

Confesso



nem tudo que disse foi acerto.
não reconheço quase nada como erro.
volto atrás em promessas sérias.
muitos chutes foram trave.
trave, para mim, é quase um acerto.
o limite do engano. e isto é grave.

era eu ao telefone
porque tem dias, poucos,
que um alô é muito
e o muito,
muitas vezes me cala.

confesso
quis também um silêncio salmoura.
que me reconhecesse
antes mesmo de ser alô
e também se calasse.
dissesse: sei que foi você,
porque só seu silêncio me dói.

e isto bastasse.


texto e imagem: roberta silva

Um comentário:

ragi moana disse...

não é por maldade, eu juro.