15.6.07

passatempo


poderia escrever

um poema à toa,

a nós, na boa.

poderia ir na sua casa

num bater de minha asa.

se esta brasa

não derreter a cera.

-Buona cera!

(escorregadeira?)

ouço Cavalera,

saudade vira paulera.

quero ver sua caveira

ou você de olheira.

sem eira nem beira.

mascando chiclete

ou eu, sua vedete.

afrouxaria o corpete,

totalmente Julliet.

sim, meu dartagnam!

venha antes de amanhã!

quero ser sua cunhã,

pelo poder de Iansã.

essa febre terçã

corrompe minha maçã.

mordida de repente

dente-com-dente

acorda a serpente.

coitado do Adão!

ah! não!

achava que era irmão.

tão dormente, bonachão.

comendo postas com pirão.

afrodisíaco um tantão!

não era essa a intenção.

mas se chamei sua atenção,

fica com Deus, meu irmão!

lá vem o lotação.
texto e imagem: roberta silva

Nenhum comentário: