9.2.13

lasso



presa pela cintura fui arrastada.
a cicatriz virou cidade de uma rua só.
lá se anda em círculos, ora por casinhas pequenas
com garotos soltando pipas, ora por esgotos a céu aberto.
à medida que engordava ou emagrecia, nós nos apertávamos
ou quase nos perdíamos.

a cidade é um poema do Neruda.
só se chega lá de caminhão, todo sujo e enrugado.
não existe mapa, o caminho fora aberto na marra.

roberta silva

Nenhum comentário: